Conheça a Fundação Enersul

 
 
 
 
 
 
 
 
 

A Fundação Enersul

A Fundação Enersul é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar autorizada a funcionar pela Portaria MPAS/GM Nº 4.442, de 14.04.89 nos termos da Lei Nº 6.435/77 e do Decreto Nº 81.240/78, sem fins lucrativos, possui autonomia administrativa e financeira e realiza, desde 1989 a gestão de planos de benefícios de natureza previdenciária, assegurados pelos recursos financeiros que constituem o patrimônio da Entidade, cumprindo o compromisso perante seus Participantes, Assistidos e Patrocinadoras, de concessão de benefícios complementares, quais sejam:
 

  • Plano de Benefício Definido – BD, Plano I – instituído em 1989 e fechado para novos ingressos desde 05/2002.
  • Plano de Benefícios de Contribuição Variável – CV – Plano II – instituído em 2002.

TELES CONTA O COMEÇO DE NOSSA HISTÓRIA

José Jorge Teles Rodrigues foi membro da primeira diretoria da Fundação Enersul e se aposentou pela FE em 2003. Pode-se dizer que ele é um dos poucos que conhece em detalhes toda a história da criação da Fundação porque foi um dos seus principais protagonistas. Em entrevista para o Jornal da FE, Teles conta um pouco do processo de criação da Fundação.

FE – Quais foram os passos iniciais que possibilitaram a criação da Fundação Enersul em 20 de junho de 1989 ?

Teles – O processo de criação da Fundação Enersul tem início efetivo em novembro de 1987, quando a então diretoria da Enersul, através de uma Proposta de Resolução da Diretoria, aprova a contratação de serviços de Consultoria Jessé Montello, uma das mais conceituadas do país na área atuarial para desenvolver estudos visando a implementação da Fundação.

FE – Como você iniciou sua participação no processo de criação ?

Teles – Logo no início de 1988 sou convidado pelo então diretor financeiro da Enersul, Carlos Osmar Carlana, para, entre outras coisas, auxiliar no processo de implantação da Fundação. Juntamente com mais dois assessores de diretoria, sou indicado para integrar a Comissão de Implantação da Fundação.

FE – Como foi essa experiência ?

Teles – Nós viajamos muito para conhecer de perto o funcionamento de outras entidades fechadas de previdência complementar e tivemos sorte de contar com a ajuda da Fundação Escelsa, que havia sido criada a pouco e que nos serviu de modelo. Tivemos ainda um grande apoio da Fundação da Eletronorte.

FE – Quanto tempo durou essa etapa ?

Teles – Antes de levar o assunto ao conhecimento dos empregados, nós realizamos diversas reuniões com a Diretoria da Enersul e com os representantes do Sindicato dos Eletricitários. Finalmente, em julho de 1988, a diretoria da Enersul, através da PRD 011/DP, aprovou a criação da Fundação como entidade fechada de previdência privada. A partir daí nosso campo de atuação se desloca para Brasília. Toda a documentação pleiteando a criação e autorização de funcionamento da Fundação é encaminhada para o Ministério da Previdência e Assistência Social. Em 19 de abril de 1989 o Diário Oficial da União publica a Portaria nº 4.442 autorizando a Fundação Enersul a funcionar como entidade fechada de previdência privada. Para efetivar o processo nós tínhamos ainda que obter, no prazo de 90 dias, a adesão de pelo menos 50% dos empregados da Enersul, que na época tinha um quadro trabalhista de 2.183 pessoas.

FE – O passo seguinte então foi a criação da Fundação ?

Teles – Exatamente. No dia 18 de julho de 1989 a Diretoria Executiva da Enersul nomeia a primeira diretoria da Fundação, tendo Uilson Simioli como presidente; Carlos Nakao como Diretor Financeiro e eu como Diretor de Benefícios. Imediatamente após, no dia 20 de julho de 1989, o Conselho de Administração da Enersul aprova, em definitivo a criação da Fundação Enersul.